terça-feira, 25 de julho de 2017

MARS: Mais que um drama colegial, é a "guerra" que enfrentamos no dia a dia

Informações Gerais:
Título: MARS: Tada Kimi wo Aishiteiru
Título em inglês: MARS: But I Love You
Baseado em: Mangá.
Episódios: 10, com 22 minutos cada um.
Gênero: Romance, Drama, Tragédia, Família & Escolar 
Ano: 2016
País: Japão
"MARS (Marte): Esse é o Deus da Guerra. Lutando contra o destino do amor. Essa é a história de três pessoas"

Se você acha que a "guerra" se restringe apenas a um triângulo amoroso, está enganado! Mas, eu também me equivoquei...


Quando escolhi assistir “MARS”, na realidade estava à procura de algo mais leve, para descontrair. Achei que seria algo “simples e bobinho”, como um drama de colegial comum, em que duas pessoas brigam feito cão e gato e no fim das contas acabam por se gostar.
Entretanto, eu me enganei, e muito. Apesar de algumas coisas serem clichês pelo fato da história se passar na escola, a trama em si aborda assuntos bem mais profundos do que eu inicialmente imaginava. Problemas familiares são o verdadeiro motivo dos conflitos e de determinadas atitudes dos protagonistas. A partir de então, temáticas como traição, desentendimentos, abusos e traumas ganham seu espaço, a fim de desvendar os mistérios do passado obscuro de cada um dos protagonistas.
Mas, começamos do início (para variar...), apresentando-lhe os personagens:

Asou Kira (Iitoyo Marie) é uma garota tímida e introvertida, que não possui amigos na escola, pois as demais garotas estranham a sua personalidade. Todavia, a garota tem o incrível talento para as artes. Sua timidez se deve a um trauma de 3 anos atrás por conta de atos de feminicídio causados por seu padrasto, fazendo com que a garota criasse uma repulsa à figura masculina em geral e se fechasse perante aos demais, com medo de se machucar.
No j-drama, o abuso à figura feminina também se expressa através de um professor chamado Yoshioka Motsu (Kikawada Masaya), que, na verdade era um psicopata e abusado que queria sempre fazer algo inapropriado com a protagonista, (nas poucas cenas em que ele aparece), assediando-a, aproveitando-se de sua inocência e ingenuidade. Felizmente, quem a salvou foi seu amigo Kashino Rei (Fujigawa Taisuke) – posteriormente, seu namorado –, defendendo-a de todas as formas.
Falar de feminicídio é um tanto (muito) polêmico, uma vez que o assunto está cada vez mais presente no mundo todo, inclusive em nosso país. Só para constar, a taxa de homicídio no Japão é quase zero, entretanto a violência doméstica é drástica, e nos últimos anos, o assunto tem sido bastante relevante. Segundo dados do ano de 2013, do Japan Times, 26% das mulheres disseram ter levado socos, chutes e empurrões, 14% alegaram ter sofrido abuso sexual, e 18%, abusos psicológicos. Isso para mostrar como a violência contra a mulher é um assunto grave em todas as partes do mundo, e “a ficção imita a realidade”, portanto, quem for assistir a esse drama prestem bastante atenção nessas cenas – mesmo que alguma possa parecer “aparentemente leve” para efeito de um dorama colegial – e pensem na importância de dar valor a nós, mulheres/garotas.

Voltando ao dorama...
Rei é um personagem forte, destemido, entretanto, também possui um coração de manteiga e uma sensibilidade maior do que se pode imaginar. Determinado, ele faz de tudo por aqueles a quem ama – incluindo Kira –, porém, pode acabar sendo violento com alguém (no caso, podemos citar o professor) a fim de cumprir a sua promessa de proteger a pessoa amada.
Acontece que o rapaz também esconde um passado turbulento e triste, do qual nem gosta de se lembrar. No entanto, quem mais sabe de seu passado é um colega chamado Kirishima Makio, aluno transferido para a mesma escola e mesma turma de Rei e Kira.
Rei tinha um irmão chamado Sei, com quem compartilhava tudo, e era seu melhor amigo. Contudo, o mesmo veio a falecer, vítima de suicídio. Rei se culpa pela morte de seu irmão, porém as coisas são bem mais profundas; esse fato envolve três pessoas: Kashino Rei, Kirishima Makio e Shiori (Fukahara Haruka), ex-namorada de Rei. O mistério por trás do falecimento traz muitas revelações por parte dos três personagens ao longo dos capítulos, de acordo com o que cada um lembra a respeito de Sei. Só algumas partes que julguei serem repetitivas no momento dos flashbacks, provavelmente para mostrar que mais de um personagem lembrava do mesmo fato. Ainda assim, cansou um pouco, mas nada que estrague a história em si. 

[SPOILER, mas é por uma boa causa] Vários foram os motivos, mas o que vale destacar mais foi a relação repentina de Shiori e Rei. Primeiramente, Shiori namorava Sei, depois “teve um caso” com Rei, o que deixou Sei triste, sentindo-se traído.
 Rei quer de qualquer forma, se livrar da culpa e quem o ajuda nesse momento doloroso e difícil é Kira, que àquela altura já era sua namorada, e cada vez mais descobria sobre o rapaz com o passar do tempo, sempre o apoiando e o confortando com palavras, gestos e atos de carinho.
“Ninguém... pode culpar-te por isso, sabia? ” Ela lhe diz, em meio às lágrimas, abraçando-o pelas costas (também me emocionei nessa cena, por isso a descrevi)
A cumplicidade de ambos como um casal foi o que mais me encantou ao assistir. A necessidade de serem protegidos e de protegerem um ao outro, de saber compreender os sentimentos de cada um, isso foi o que mais me impressionou, porque geralmente o que falta numa relação – e o que mais importa – é saber entender seu companheiro. E diferente dos dramas que estamos acostumados a ver, nesse caso foge totalmente do estereótipo “cara arrogante e menina burra”, porque ambos se entendiam e se completavam, sem julgar um ao outro, e sem ciúmes exagerado do tipo “Você está com outra logo agora? ” ou algo do gênero, mesmo quando Shiori precisou ficar com Rei. Claro, sempre tem a típica cena da garota em dúvida sobre o futuro, mas Kira sabia as circunstâncias daquilo, e estava disposta a esperar o tempo que fosse até que tudo se acertasse.
[SPOILER Parte #2 + Informativo] No meio da história, Shiori também tenta se matar, do telhado da escola (ela não morre, tá?). Para quem não sabe, o Japão é um dos países com um dos maiores índices de suicídio do mundo.

Romance, amizade e cumplicidade
 Quanto ao romance em si, o relacionamento entre Kira e Rei desperta um enorme ciúme em Harumi (Yamazaki Hirona), que sempre gostou de Rei, e que por isso provocava Kira sempre que podia, e, entre outras coisas, fazendo-lhe ameaças duras e cruéis.
Com relação a isso, o que eu mais gostei foi de ver a mudança de atitude e o amadurecimento dos personagens da trama. Harumi era inicialmente cruel, mas, com o tempo, percebeu o quão honesta e pura é Kira, e tornou-se sua melhor amiga e companheira, para pedir conselhos e/ou lhe ajudar no que fosse necessário. Confesso que à medida que ia assistindo, gostava mais e mais da presença dela, de modo que me apeguei muito à Harumi.
A personalidade de Kira também modificou bastante; no início era introvertida e insegura, mas depois mostrou-se como sendo a garota determinada, decidida e correta que há escondida dentro de si.
O protagonista masculino também se desenvolveu no decorrer da trama; por causa da influência e da companhia de Kira, ele se tornou mais sensato e se mostrou mais gentil e delicado, sabendo controlar mais seus atos e seu temperamento, sendo não apenas a pessoa impulsiva e violenta, como alguns o conhecem.
A personalidade de Kirishima se revela extremamente diferente – na realidade o inverso – do que aparenta ser, o que é uma grande revelação ao drama em si. Mas, o que podemos extrair de melhor do relacionamento entre esses 4 principais é que a amizade é um dos pontos-chave no drama. Poder contar com alguém de confiança para que possa superar as dificuldades da vida, em nosso dia a dia.
O triângulo amoroso foi bem sutil, já que os interesses de Kirishima não estavam claros, e deu para aproveitar bastante as cenas do casal principal.
Um tema não muito explorado (até porque esse não era o foco, então é compreensível), e difícil de se encontrar em doramas é sobre plágio. Nesse caso, referente a uma obra de arte da protagonista, o qual um senpai dela, alegou autoria própria. Nesses momentos que a gente se coloca para refletir como é importante ser honesto e sincero perante às coisas e às pessoas. Se quer conquistar algo e ter reconhecimento, faça por mérito e esforço próprio, sem ficar “usando” (literalmente) trabalhos de outras pessoas para se destacar, porque isso é desonroso e desmerecedor à própria pessoa.

Finalização do drama e continuação
O drama em si acaba meio sem final, porque os dois últimos capítulos são uma recapitulação dos principais momentos que aconteceram durante a trama, sob o ponto de vista de Kirishima. Honestamente, achei desnecessário 2 episódios dedicados a isso, mas pelo menos tem um fundamento. Depois que termina o drama (em 10 episódios), sua continuação é um filme de uma hora e meia que explica algumas coisas que ficaram em aberto, principalmente as intenções de Kirishima em relação à Rei.
Entrarei em mais detalhes em uma resenha a parte sobre o filme, porque essa já ficou bem mais comprida do que eu imaginava/planejava.😉

Elenco e Interpretação dos personagens
Quando escolhi esse drama para assistir foi por causa da atriz Fukahara Haruka, que conheci através de Good Morning Call (ela fez a protagonista Yoshikawa Nao), porém, a minha reação em relação aos demais atores também foi bem satisfatória, por ser um j-drama, principalmente. Tiveram alguns que poderiam melhorar (sempre tem), mas em geral foi bom.
Achei que os protagonistas combinaram bastante, e que a Marie, atriz que interpretou a Kira, a fez de um modo meigo e delicado, deu pra sentir isso no que diz respeito à personalidade da personagem. Só achei que as cenas de “choro” deveriam ter um pouco mais de sentimentalismo (teve, mas para mim, poderia ser mais intenso, até porque tem bastante sofrência).
O protagonista masculino foi bem interpretado até porque dava para ver a raiva e os sentimentos impulsivos dele. O que eu acho que falta para os japoneses de forma geral – e outras dorameiras também podem achar – é a química no olhar quando o casal está cara a cara, daria mais emoção nesses momentos se eles se expressassem um pouco melhor.
O ator que fez o Kirishima não achei que foi excelente, mas “deu pro gasto”, acho que já deu para entender...
Uma atriz que acho que atuou super bem foi a Yamazaki Hirona, que interpretou a Harumi, aqui em MARS. Ela atuou com tanto sentimento que no começo até dava raiva da personagem por causa das provocações que fazia com a Kira, mas quando eu descobri o porquê daquilo deu até dó da Harumi. Acho que por isso me apeguei tanto à Harumi
Quanto à Haruka (minha atriz “novinha” favorita e meu motivo especial), achei que atuação dela foi muito boa neste drama, mas melhorou bastante, desta obra para Good Morning Call.  Apesar de serem trabalhos do mesmo ano, a atuação dela foi bem mais intensa em Good Morning Call do que aqui, no que se refere à dramatização da personagem, em cenas de tristeza ou sofrimento.
Digo isso porque, apesar de que em MARS a participação dela foi bem menor, a Shiori era uma garota que sofreu demais também, deu até pena, mas acho que faltou um pouquinho mais de emoção em determinadas partes da trama. Entretanto, fico feliz em fazer esse comparativo e ver que, a cada trabalho ela melhora sempre mais! Com certeza acompanharei os trabalhos dela daqui para frente! 💕

Conclusão
Apesar de alguns flashbacks um pouco cansativos e da atuação de alguns, o enredo foi muito bem construído, e pela primeira vez eu acho que encontrei um drama que mostrasse um pouco da realidade dos adolescentes no Japão. Por essa razão, esse foi um drama que me surpreendeu de várias formas, pelas temáticas abordadas em meio ao romance, que deu um toque a mais de realismo à história. Quanto a gostar ou não, depende se o espectador gosta de enredos que se passam na escola, porque é bem rotineiro, são realmente fatos do dia a dia contados ao longo dos capítulos. Mesmo assim, recomendo muito que assistam a este drama e que parem para refletir sobre as questões que circundam a nossa sociedade, pois apesar de ser uma obra ficcional tem seu fundo de verdade, e é sempre bom ficarmos atentos a alguns aspectos. Espero que quem for assistir tenha um drama proveitoso assim como eu tive, e que possa extrair o melhor que este pode oferecer-lhes.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

[OST] Tradução do tema de encerramento de "Young Sherlock"

[LEIAM ANTES, POR FAVOR] 

Aviso: Estranhamente não consegui achar a letra romanizada dessa música. A tradução só consegui por conta das legendas da Viki, em inglês, que era só o tema de encerramento (uns dois minutos) Ao que parece essa música é meio desconhecida, por isso é mais difícil de encontrar. Mesmo assim, deixo a tradução dela aqui, para que vocês também possam apreciar essa canção inspiradora e muito poética. Para quem quiser conferir o áudio completo (ufa, pelo menos isso tem!), deixo abaixo 
Por favor, aproveitem!



Pei Ni Tian Ya/Accompany you to the End of the World - 

Interpretada por: Qi Wei, também atriz desse drama, que dá vida à personagem Li Wangqin


Eu te acompanharei até você envelhecer
Mas quem sabe o que está em minha mente?
Até o céu clareia quando minhas indagações são respondidas
Apenas tolos têm tais preocupações:

É difícil controlar a chegada do destino.
Eu sinceramente acredito que...
Ninguém deseja ver duas andorinhas voarem por trilhas separadas

O senso moral pode ser corrompido por uma ponta de uma espada.
O céu é alto demais para alcançarmos,
E essas inúmeras hipóteses não ajudarão em nada.

O conflitante mundo é perigoso;
Uma vez que você entra, não consegue mais sair dele.
Destinos entrelaçados não podem ser revelados e nem explicados claramente.
Por que você não compreende meu coração?
Como uma errante, eu estou disposta...
A caminhar até o fim do mundo contigo

A saudade é muito forte, eu não posso me libertar dela.
O que eu devo fazer?
Relacionamentos são frágeis, e não conseguem resistir...
Eles interferem no Mundo Mortal

Destinos entrelaçados não podem ser revelados e nem explicados claramente.
Por que você não compreende meu coração?
Como uma errante, eu estou disposta...
A caminhar até o fim do mundo contigo

quinta-feira, 20 de julho de 2017

“The King Loves” atinge altos índices de audiência em seus episódios de estreia

O novo drama da MBC, “The King Loves”, exibiu seus primeiros episódios. No dia 18 de julho de 2017, segundo os resultados do Nielsen Korea, “The King Loves” obteve 7.8% e 8,1% de audiência em seu primeiro e segundo episódio, respectivamente.
O drama foi capaz de obter uma qualificação mais alta para seu episódio de estreia do que o drama anterior da MBC, “Lookout”, o qual obteve 6% de qualificações. Durante o primeiro episódio, “The King Loves” apresentou os personagens principais interpretados por Yoona, Im Siwan e Hong Jong Hyun, enquanto tentavam completar a missão que seu mestre havia lhes dado.
Entretanto, o drama “School 2017”, da KBS, atingiu 5,9% de audiência, ao passo em que “My Sassy Girl”, obteve 8,9% e 10,2% para seus respectivos episódios. 

Tradução por: Rebeca Suzuki 

quarta-feira, 19 de julho de 2017

[Resenha] Primeiras Impressões de "The King Loves"

Informações: 
Título: The King Loves 
Títulos alternativos: The King In Love, The King Is In Love
Lançamento: 17/07/2017
Emissora: MBC. 
Gênero: Romance, Histórico, Melodrama. 
País: Coreia do Sul

Resenha 
Como fã da atriz e cantora Im Yoona e também de enredos históricos, eu estava super ansiosa para assistir a este drama. Logo no começo já me prendi completamente com os personagens e com a história em si. A trama é leve contando com uma boa dose de romance e uma pitada de comédia, entretanto, o drama por trás da vida da protagonista é realmente intenso.
O drama tem cenas e passagens muito marcantes, o que me instiga a querer continuar a assistir, com aquele gostinho de "quero mais". 
Situada no período da Dinastia Goryeo, a trama gira em torno de Eun San (Im Yoona), é a filha do Ministro, influente figura na região. Por um grave incidente que envolve seu passado, a garota esconde um segredo e, por isso, está morando escondida em uma vila. Acontece que o Príncipe (Im Siwan) a conhece de longa data, e a reconheceu de imediato: "Nos encontramos antes. Eu te conheço". O Príncipe tem seu guarda costas e leal amigo Wang Rin (Hong Jong Hyun).
Quando os três se encontram, eles começam a ter uma forte relação de amizade e cumplicidade, entretanto, a situação pode mudar (mais para frente) quando ambos começam a nutrir sentimentos por Eun San. 
O que eu mais gostei nesses capítulos iniciais foi de testemunhar a presença do uso de flashbacks ao longo dos episódios, esclarecendo os mistérios que envolvem a trágica juventude de Eun San em relação à sua família e também descobrindo aos poucos como Wang Rin a conheceu desde que eram adolescentes. Esses foram os momentos mais emocionantes do drama até agora, e que deixaram o meu coração apertado. 
Em relação aos personagens em si,o que mais me atraiu foi a personalidade da protagonista: forte, determinada, dona de si e extremamente valente, mas também sensível e emotiva. Há algumas cenas de comédia visto que a garota é daquelas que diz tudo o que pensa, a ponto de discutir com alguém.
Por sua vez, Wang Rin é fiel e calmo, todavia não dispensa sua forte personalidade. Wang Won é o Príncipe que por muito tempo foi solitário e "descobriu o mundo" e o significado da amizade graças à companhia e ao incentivo de Wang Rin, com quem detém um sólido relacionamento. 
Estou gostando bastante do envolvimento dos personagens em si, e de como tudo está se desenrolando, entre presente e passado, de maneira intrigante, envolvente, e apaixonante, além da excelente atuação de cada um, trazendo emoção à história. Sem contar com a OST, que conta com canções melodiosas e com letras poéticas e românticas, o que contribui para dar mais sentimentalismo em determinadas cenas 
Esse drama promete, e de todas as formas, já ganhou meu coração. Ansiosa pelo que está por vir pela frente. 
"Sim, essa é a história de como eu te amei, mais do que amei a mim mesmo".

sexta-feira, 14 de julho de 2017

[Han/Letra/Tradução] Ma Tian Yu/Ray Ma (馬天宇) – Fallen Flowers. (落花)

Ma Tian Yu/Ray Ma (馬天宇) – Fallen Flowers. (落花)

Letra: 豔子, 張旭 (Yan Zi, Zhang Xu)
Composição: 張旭 (Zhang Xu)



Fallen Flowers.

若不是 花開花落若夢一場
又怎會讓自己 在風裡掙扎
戀戀紅塵 讓人分不清是真還是假
愛到最後 沉默代替回答

Ruò bùshì huā kāihuā luò ruò mèng yīchǎng
yòu zěn huì ràng zìjǐ zài fēng lǐ zhēngzhá
liàn liàn hóngchén ràng rén fēn bù qīng shì zhēn háishì jiǎ
ài dào zuìhòu chénmò dàitì huídá

Se não fosse pelas flores desabrochando e desvanecendo, um cenário devaneador.
Como eu me permitiria debater-se através da janela,
Para amar no mundo dos mortais, não é possível distinguir se é real ou fictício
“Amar até o final”. O silêncio substituiu essa responsabilidade.

看不穿謊言裡誰的淚落下
無奈花飛滿天 恨不過天涯
痛到最後 讓人眷戀 又讓人害怕
躲在冷冷夜風中感受 天與地的落差

kàn bù chuān huǎngyán lǐ shuí de lèi luòxià
wúnài huā fēi mǎn tiān hèn bu guò tiānyá
tòng dào zuìhòu ràng rén juànliàn yòu ràng rén hàipà
xīn duǒ zài lěng lěng yè fēng zhōng gǎnshòu tiān yǔ dì de luòchā

Incapaz de enxergar quem está chorando em meio às mentiras,
Sentindo-me desamparado, porque as flores estão sobrevoando no céu. O ódio não pode exceder os limites do céu.
“Machucar até o final”, permitiu alguém a ser sentimentalmente atacado, e fez alguém temer.
O coração está escondido na gélida e ventosa noite, sentindo a diferença entre os Céus e a Terra.

不願做水中的落花 別讓誰再為誰牽掛
歲月帶不走 是滿身的傷疤
不想做感情的落花 別讓心愛恨裡掙扎
明天誰的心 會浪跡天涯

bù yuàn zuò shuǐzhōng de luòhuā bié ràng shuí zài wèi shuí qiānguà
suìyuè dài bù zǒu shì mǎn shēn de shāngbā
bùxiǎng zuò gǎnqíng de luòhuā bié ràng xīn ài hèn lǐ zhēngzhá
míngtiān shuí de xīn huì làngjì tiānyá

Indisposta a tornar-me uma flor caída na água, não permitindo atacar alguém.
Não posso apagar os gloriosos anos, são as feridas que cobrem o meu corpo por completo.
Indisposta a ser o amor de uma flor caída, não permitindo o coração a lutar entre o amor e o ódio.
Dos quais o coração irá divagar até o limite dos céus amanhã.

kàn bù chuān huǎngyán lǐ shuí de lèi luòxià
wúnài huā fēi mǎn tiān hèn bu guò tiānyá
tòng dào zuìhòu ràng rén juànliàn yòu ràng rén hàipà
xīn duǒ zài lěng lěng yè fēng zhōng gǎnshòu tiān yǔ dì de luòchā

Incapaz de enxergar quem está chorando em meio às mentiras,
Sentindo-me desamparado, porque as flores estão sobrevoando no céu. O ódio não pode exceder os limites do céu.
“Machucar até o final”, permitiu alguém a ser sentimentalmente atacado, e fez alguém temer.
O coração está escondido na gélida e ventosa noite, sentindo a diferença entre os Céus e a Terra.

不願做水中的落花 別讓誰再為誰牽掛
歲月帶不走 是滿身的傷疤
不想做感情的落花 別讓心愛恨裡掙扎
明天誰的心 會浪跡天涯

bù yuàn zuò shuǐzhōng de luòhuā bié ràng shuí zài wèi shuí qiānguà
suìyuè dài bù zǒu shì mǎn shēn de shāngbā
bùxiǎng zuò gǎnqíng de luòhuā bié ràng xīn ài hèn lǐ zhēngzhá
míngtiān shuí de xīn huì làngjì tiānyá

Indisposta a tornar-me uma flor caída na água, não permitindo atacar alguém.
Não posso apagar os gloriosos anos, são as feridas que cobrem o meu corpo por completo.
Indisposta a ser o amor de uma flor caída, não permitindo o coração a lutar entre o amor e o ódio.
Dos quais o coração irá divagar até o limite dos céus amanhã

不願做水中的落花 別讓誰再為誰牽掛
歲月帶不走 是滿身的傷疤
不想做感情的落花 別讓心愛恨裡掙扎
明天誰的心 會浪跡天涯
明天誰的心 又浪跡 天涯

bù yuàn zuò shuǐzhōng de luòhuā bié ràng shuí zài wèi shuí qiānguà
suìyuè dài bù zǒu shì mǎn shēn de shāngbā
bùxiǎng zuò gǎnqíng de luòhuā bié ràng xīn ài hèn lǐ zhēngzhá
míngtiān shuí de xīn huì làngjì tiānyá
míngtiān shuí de xīn yòu làngjì tiānyá

Indisposta a tornar-me uma flor caída na água, não permitindo atacar alguém.
Não posso apagar os gloriosos anos, são as feridas que cobrem o meu corpo por completo.
Indisposta a ser o amor de uma flor caída, não permitindo o coração a lutar entre o amor e o ódio.
Dos quais o coração irá divagar até o limite dos céus amanhã
Dos quais o coração irá divagar até o limite dos céus amanhã

segunda-feira, 10 de julho de 2017

[Curiosidades] O simbolismo do pavão na Ásia

Resultado de imagem para peacock phoenix
Ao assistir um k-movie, percebi que, em um determinado cenário havia a figura de um pavão, e por mera curiosidade, decidi pesquisar um pouco a respeito do simbolismo desse animal na cultura asiática.
            Deixo aqui abaixo o que eu descobri:

O pavão é um dos animais com as características mais admiráveis que há, com suas cores extravagantes, ele simboliza a integridade e significa a glória, visão, nobreza, espiritualidade, imortalidade, cortesia, o despertar e a incorruptibilidade.
Segundo as crenças, deve-se contemplar os poderes do pavão se você deseja ter mais vibrações e vitalidade em suas experiências, além de que, ele também pode te auxiliar em seu caminho da fé e aumentar a sua autoestima.
Cada cultura determinada a si uma denotação diferente a este animal sagrado:

China
Na China, acredita-se que o pavão é a manifestação da Fênix celestial na Terra, sendo um dos “Doze Símbolos da Soberania”. Possui centenas de olhos em suas caudas que poderiam atrair sucesso, sorte, promover a admiração do público e trazer motivações positivas de outras pessoas.
É dito que a magnificência do pavão pode reanimar a chama de um sôfrego relacionamento, com a ardente energia do animal. Na arte decorativa, este simboliza a dignidade e a beleza.
Foi o símbolo da Dinastia Ming, representando a divindade, a ordem, o poder e a beleza. O pavão de cem olhos é também associado à deusa Guan Yin. Ele pode se nutrir das cobras e transformar o mal em beleza. Já a deusa Guan Yin se compadece do sofrimento, e devido a isso transforma o mal em beleza. Nesse sentido, o pavão simboliza a proteção e a santidade.

Índia.
O nome dado ao pavão em hindu, “mayura”, significa literalmente “assassino de serpentes”.
No hinduísmo, está associado ao deus da guerra Kartikeya, que sentava com suas mulheres em um trono com formato de um Pavão Real. Entretanto, o animal também está relacionado à deusa Lakshimi, a qual representa a benevolência, a paciência, gentileza, compaixão e boa-sorte. Igualmente à Lakshimi, o pavão é ligado à Kwan-Yin (ou Quan Yin), que, segundo as crenças asiáticas, é o símbolo do amor, compassivo de vigilância, boa vontade, afeição e amabilidade.
Reza a lenda que ela escolheu permanecer uma mortal, ainda que pudesse se tornar imortal, pois desejava seguir e auxiliar os humanos em sua evolução espiritual.

Para o Budismo, a ave tem um significado similar, uma vez que os budistas associam seus olhos com a vigilância. No entanto, para eles, as penas desse pássaro se relacionavam à acessibilidade, já que o mesmo se mostra completamente ao exibir suas caudas.
Acredita-se que as penas eram utilizadas em rituais religiosos para se alcançar a pureza.


 Fontes de pesquisa: 
https://www.lasociedadgeografica.com/blog/cultura/el-pavo-real-en-india-su-ave-nacional/
http://www.whats-your-sign.com/peacock-symbolism.html
http://www.ehowenespanol.com/simboliza-pluma-pavo-real-hechos_42631/
http://www.signology.org/bird-symbol/peacock-symbol.htm
http://www.nationsonline.org/oneworld/Chinese_Customs/peacock.htm

Trechos dos trabalhos escritos de Ma Tian Yu

"我们不需要在自我怀疑中耗费有限的青春,更不要躲在自卑的厚茧中轻薄了自己。接受苦难,更要随时迎接希望。不要在犹豫和彷徨中蹉跎了本该丰富精彩的人生"

"Nós não temos que ostentar a nossa juventude com dúvidas. Nós não devemos nos esconder em uma pesada conha de auto-inferioridade e, portanto, tratar a nós mesmos levianamente. Saiba como aceitar as dificuldades da vida, mas nunca se esqueça de ter esperança. Não se deixe levar pela ansiedade e o medo de sobrepujar-se àquilo que deve ser uma maravilhosa e satisfatória vida" 
--馬天宇 《我本浪人》
Juoksentelisinkohan


"也许,一切美好的事物都是由善意开始的"

"Talvez, tudo que é belo no mundo começa com um ato de gentileza"
                                                                                                                                       Ma Tian Yu 
                                                                                                                       "Just enjoy yourself."



"夜萧瑟.月凄艳.悲歌缠耳.咽尽肝肠碎.天寒梅谢魂憔悴.慈母已去.苦忆怎能睡?
月将沉.思絮飞.清明虽过.面朝苍天跪.儿时琐事心头现.烛歇灯灭.黯然无声泪"


"Lúgubre noite. Desolada Lua. Canções de tristeza preenchem meus ouvidos. Meu coração se parte, os espíritos morrem como as ameixeiras em um  gélido inverno. Com a partida de minha amada mãe, como eu posso adormecer com amargas memórias? A Lua se prepara. Pensamentos voam. Ainda que Qing Ming tenha partido, eu ajoelho e olho para o céu. Memórias da infância flutuam em minha mente. Tal como a chama de uma vela cintila e se esvai, lágrimas silenciosas preenchem meus olhos" 


                                                                                                                --馬天宇 《忆母》
                                                                                                               In Memorium of Mother

Tradução inglês português por: Rebeca Suzuki