Pular para o conteúdo principal

Postagens

Postagem em destaque

Avisos, explicações e datas de atualizações de projetos

Boa noite, gente. Vim por meio desta fazer um rápido aviso e algumas explicações sobre os projetos. Na verdade, esse é um projeto que comecei com o intuito de divulgar a literatura asiática, e aproveitando o fato de que muitos dramas chineses são baseados em livros, as novels chinesas serão as que dão origem para adaptações.             Para quem está ansioso (a) para as continuações, aqui vai o cronograma das atualizações. "A Tale of Two Phoenixes" (Chinesa) – Segunda, quarta e sexta. Atualmente tem 36 capítulos em inglês e espanhol, então não fiquem tristes se um dia futuramente eu parar de atualizar. No momento presente darei o meu melhor, com certeza, porque a história promete.
"I was born as the King’s Daughter" (Coreana) – Terças e quintas Está em processo de tradução em inglês e espanhol, mas assim como para tudo, me dedicarei muito e espero que estejam gostando.
"I reincarnated but I think the Prince (Fiancée) has given up" (Japonesa) – Atualizad…
Postagens recentes

[Literatura Asiática] Lançamentos de hoje: 19/01

E aqui vão as novidades de hoje! 
Literatura Chinesa.
Light Novel: Aproveitem muito os capítulos de “A Tale of Two Phoenixes” porque está cada vez melhor. Com umas protagonista decidida e uns charmosos amantes, como fazemos para não surtar? <3 Gente, o Rong Zhi (protagonista), e encantou demais, queria um gentleman desse pra mim. E, claro, espero muito que ele fique com a Princesa. Depois me contem quem mais encantou cada uma de vocês. Vamos surtar juntas!! Quanto mais falarmos sobre, melhor!
Capítulo 5 – Adeus ao Passado Capítulo 6 – Medo de desperdiçar a Primavera Capítulo 7 – Beleza Perfumada (Parte I)
Literatura Japonesa: Traduzi dois poemas bem interessantes pra vocês. É só clicar nos nomes para conferi-los.
“Animal Barulhento”, por Osaki Sayaka: Uma obra aparentemente simples, mas com uma mensagem bem mais profunda. Nossa fala pode ser algo bom ou pode alfinetar. E quantas vezes não nos ocorre que é bem melhor seguir os instintos do que o que os outros dizem? E quantas vezes in…

[Light Novel] A Tale of Two Phoenixes

Informações Gerais: Título: A Tale of Two Phoenixes  Autora: Tian Yi You Feng (天衣有风) País: China Idioma: Mandarim Ano: 2008 Gêneros: Ação, Aventura, Romance, Harém, Josei & Mistério Tags/Assuntos: Adaptado para Drama, Aristocracia, Nobreza, Harém Inverso e Protagonista Esperta. Status no País de Origem: Completo (288 capítulos)
Tradução: Em andamento Créditos de tradução: novelasd. com. (espanhol) Reading Attic (Inglês) Tradução ao português por: Rebeca A. Suzuki
Sinopse: O feito mais famoso dessa princesa foram suas palavras para seu irmão mais novo Liu Ziye. Quando ele se tornou Imperador, ela disse a ele: ― Ainda que Sua Alteza e eu sejamos de sexos diferente, somos os filhos do mesmo pai. Porque você pode dormir com tantas mulheres diferentes, enquanto eu devo ficar apenas com meu marido? Isso é muito injusto! E após o Imperador Liu Ziye ouvir essas palavras de sua irmã mais velha, ele ridiculamente pensou que isso fazia sentido. Então, ele imediatamente corrigiu seus “atos errôneo…

[Poesia Japonesa] "Não estremeça" por Hirata Toshiko

Poesia escrita por Hirata Toshiko Publicado originalmente na World Without Borders na Edição de Março de 2012.
Não estremeça
Isso estremece. Isso treme hoje de novo. Eu não sabia que na Terra, Há um indisciplinado balançar de berço Um balançar de berço cruel, que não deixa Nem o adulto e nem a criança adormecerem
É março, é Primavera. Deveria ser uma gentil estação de um sono vernal. Quando alguém dorme tão profundamente, que não há madrugada. Mas a Primavera este ano, Nos move, para evitar, Que fiquemos adormecidos.
Terra, é suficiente, A você simplesmente, Rodar contente,
Deixe o tremor, Às flores pelos ventos esvoaçadas, E às roupas no quintal penduradas
Você deve girar simplesmente, Inocentemente.
Essas forças que abalam a Terra, Vocês podem se tornar bolhas e desaparecer. Não estremeça. Não estrem... Não estr... Não. Não. Não!
*Os últimos versos são uma brincadeira com a expressão “Não estremeça” (Do not tremble). O primeiro “não” é a tradução de “Do not”, o segundo apenas “not”, e o…

[Poesia Japonesa] "Animal Barulhento", por Osaki Sayaka

Poesia escrita por Osaki Sayaka Publicado originalmente em: World Without Borders (Edição de março de 2012)
Animal barulhento
Nota da Autora A Linguagem é o primeiro desastre que a humanidade experimenta. A linguagem é a violência que, nós, como pessoas continuamos a experimentar todos os dias. Nós experimentamos este desastre e, ainda bebês, começamos a falar, incapazes de ficarmos quietos. Eles reproduzem as palavras de alguém justamente como elas são, reproduzindo da forma da experiência de alguém com o desastre. Como resultado, eu não sei onde “este desastre” se inicia, e nem onde ele termina.
Animal barulhento
Não acredito em palavras. Não acredito em “céu azul” Não acredito em “Terra Brilhante” Não acredito na “luz da esperança” Eu sou um animal barulhento. Eu sou um animal que caminha prestes a falar interminavelmente Eu não sou capaz de falar apenas sobre o que eu tenho visto Você não é capaz de falar apenas sobre o que você tem visto.
Palavras mentem, e palavras tendem a aluci…

[A Tale of Two Phoenixes] Capítulo 7 – Beleza Perfumada (Parte I)

Um, dois três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove, dez, onze... Apesar de os livros de História registrarem que a Princesa de Shanyin, Liu Chuyu possuía trinta cortesões outorgados a ela por ordem do Imperador, a realidade não era bem assim. Chuyu perguntou antes a You Lan: Havia um total de apenas 24 cortesões no Palácio e ainda que metade deles fossem concedidos pelo Imperador, a outra metade foi cuidadosamente selecionada pela própria Princesa de Shanyin. Entre eles estava Rong Zhil, que foi um dos primeiros a chegar ao Palácio, devido à Princesa de Shanyin. Todos os tipos de belos jovens e elegantes adolescentes apareceram pela entrada do quintal, motivo pelo qual Chuyu não conseguia parar de exaltar seu coração. E, uma vez mais ela confirmou que as estéticas da Princesa não apenas possuíam um gosto nobre, como também se inclinava perante à diversidade. Quase todos os tipos tinham dois ou três deles, e ainda haviam diferenças em suas especificidades em um tipo. A variedade de e…

[A Tale of Two Phoenixes] Capítulo 6 – Medo de desperdiçar a Primavera.

― Yue Jiefei, venha caminhar comigo. ― Chuyu fez sinais ao jovem, vestido com roupa azul, e ajustada de guerreiro. Ela não esperou pela sua resposta antes de pisar na trilha de pedrinhas torcidas. O jovem chamado Yue Jiefei tinha um corpo alto e bonito. Suas roupas ajustadas também mostravam suas charmosas pernas largas, cintura estreita e ombros largos. Ainda que não tivesse o rosto mais bonito do mundo, possuía uma beleza espetacular. Chuyu ainda se recordava de quando havia acabado de chegar a esse mundo, da primeira vez que saiu de seu quarto, Yue Jiefei se materializou ao seu lado como se fosse um fantasma. Ela quase teve um ataque cardíaco, porém logo descobriu que Yue Jiefei era seu guarda-costas pessoal e se acalmou ao se dar conta que esta era provavelmente o lendário QingGong [1] aparecendo e desaparecendo à vontade. Cada vez que saía de seu quarto, Yue Jiefei imediatamente aparecia ao seu lado, sem se importa com o dia ou a noite. Do mesmo modo, quando regressava ao seu dor…

[A Tale of Two Phoenixes] Capítulo 5 – Adeus ao Passado

Reunindo seus pensamentos, Rong Zhi focou seu olhar na porta a sua frente. De fato, também esteve se perguntando esses dias. Ele viu as anormalidades da Princesa mais claro do que ninguém; ele apenas estava firme e calmo, sendo bom em se autocontrolar, então ele não demonstrou sua ansiedade como os outros, tal como Liu Se. Quando Liu Se veio até ele hoje, repentinamente passou em sua cabeça que, entre todas as pessoas do Palácio da Princesa, se nem mesmo ele estivesse disposto a descobrir o que aconteceu à Princesa, então nenhum deles ousaria correr esse risco. Rong Zhi suspirou e abriu a porta. Dentro do quarto estava escuro frio e silencioso. As luzes não estavam ligadas, e até mesmo o incenso que a Princesa adorava não estava aceso. Rong Zhi não pode evitar franzir a testa. Quando a luz do exterior resplandeceu no quarto, acompanhando o som do giro da maçaneta, Rong Zhi escutou uma voz baixa de trás do anteparo: ― Quem está aí? Essa era obviamente uma voz familiar, mas ao mesmo temp…